5 mitos do controle de processos jurídicos

Soluções de gerenciamento de processos de negócio BPM

5 mitos do controle de processos jurídicos

controle de processos jurídicos

O devido controle de processos jurídicos é crucial para redes de empresas que visam não apenas se manter em conformidade legal, mas também competitivas no mercado. No entanto, gerenciar todos os casos da área é um desafio.

Sabemos que o Brasil possui um grande número de processos jurídicos em andamento. Para se ter uma ideia, segundo o último levantamento do Conselho Nacional de Justiça, em 2019, o país registrou 77,1 milhões de processos em tramitação.

Esses números nos mostram um pouco a respeito do volume de casos que escritórios e áreas jurídicas possuem e, consequentemente, a quantidade de tarefas dos advogados e de todo o departamento. 

Com tamanha demanda, muitas empresas não conseguem realizar um efetivo controle de processos jurídicos por conta de alguns mitos que rondam a área. Nesse cenário, confira abaixo quais são eles e como desmistificá-los para melhorar a gestão da sua organização.

5 mitos do controle de processos jurídicos

Dentre os principais mitos que rondam a gestão de processos jurídicos estão:

1. A gestão por meio de planilhas é suficiente 

Muitos escritórios e departamentos jurídicos ainda utilizam estratégias tradicionais para realizar o controle da área, como é o caso de planilhas, quadros e agendas.

Embora diversos especialistas acreditem que essas iniciativas são eficientes, não é bem assim. Esses processos são manuais, o que significa mais tempo gasto do time no registro de informações. 

Além disso, permitem pouco controle sobre a operação, assim como as tarefas, abrindo espaço para erros e inconformidades nas atividades jurídicas

2. Não é necessário padronizar processos

Outro mito que frequentemente ronda as áreas jurídicas é a ideia de que não é necessário padronizar processos. 

Vamos imaginar a seguinte situação: uma empresa recebe duas petições e cada uma delas fica sob a responsabilidade de uma pessoa diferente do departamento.

Pois bem, agora vamos imaginar que o especialista 1 registra as atualizações do seu processo em uma planilha e usa a agenda do próprio celular para controlar as datas de reuniões e comparecimento nos fóruns, enquanto o especialista 2 faz tudo isso por meio de uma agenda. 

Apenas com esse cenário já é possível imaginar o quanto o controle de informações, monitoramento dos casos e, principalmente, segurança de dados seria algo impossível de alcançar. 

3. A área jurídica é sempre baseada em atividades emergenciais

Petições de última hora. Reuniões em cima do horário. Solicitação de novos documentos em caráter emergencial. Parece que a área jurídica sempre está correndo contra o tempo. No entanto, esse é outro mito. 

Por meio da padronização de processos e ferramentas adequadas, é possível não apenas otimizar o tempo do time, mas também antecipar demandas, tornando as atividades emergenciais uma exceção e não regra.

4. Não é possível mensurar o desempenho do setor

Elencando os tópicos anteriores, gestores de áreas jurídicas que são controladas de modo manual, realmente possuem dificuldades em mensurar o desempenho do setor. Porém, isso não significa que é impossível monitorar esses resultados.

Com times bem alinhados e preparados, além de sistemas apropriados às necessidades da sua rede de empresas, pode-se obter uma visão holística da operação, assim como identificar a performance e possibilidades de melhorias.

5. O investimento em tecnologia é desnecessário

Por fim, se você chegou até aqui, já percebeu o porquê acreditar que a tecnologia em gestão de serviços jurídicos é desnecessária se trata de um mito. 

Sabemos que empresas do mundo inteiro estão acelerando a transformação digital em todas áreas e nos departamentos jurídicos não é diferente. 

De maneira geral, a inovação facilita o controle de tarefas e promove às empresas diferencial competitivo, aumento da produtividade e melhores oportunidades de crescimento sustentável a longo prazo. 

Como superar esses mitos e aumentar a performance do controle de processos jurídicos?

A Blue Service pode ajudar o seu negócio a potencializar o controle de processos jurídicos. 

Oferecemos aos nossos clientes a Blue Service BPM Platform, um sistema completo que otimiza a gestão de processos através das seguintes funcionalidades:

  • Alta personalização;
  • KPIs totalmente configuráveis;
  • Integrações inteligentes;
  • Fácil usabilidade;
  • Responsivo;
  • Alta segurança de dados. 

Com a Blue Service BPM Platform, o departamento jurídico da sua empresa alcança uma melhor performance, redução de custos e visão 360° da operação. Quer saber mais? Entre em contato conosco e solicite uma demonstração gratuita